Seguidores

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Cosme e Damião.

Eu estava ansiosa para escrever este post. É o primeiro de uma série de 6 postagens sobre a criança e a infância, em comemoração do que eu chamo de "época das crianças", que seria o período de 27 de setembro a 12 de outubro. Nessa época, as lojas ficam voltadas para o público infantil e há festinhas em colégios e longas corridas atrás de doce.

É claro que as crianças normalmente são as estrelas da vida cotidiana, e também temos muitas outras datas que elas aproveitam bastante (como Halloween, Natal e Páscoa), mas nessa época, a comemoração é só delas.

Na data de hoje, comemora-se os santos padroeiros das crianças, que em vida foram médicos e praticaram a profissão gratuitamente. Nada mais justo que comemorar a data de hoje pagando promessas aos santos gêmeos presenteando seus afilhados não é verdade? O curioso, é que indo agora na Wikkipédia descobri que no dia 27 quem comemora é o candomblé, a igreja católica comemora no dia 26. Porém, independente de que dia é o certo, Cosme e Damião são festejados na minha cidade distribuindo-se doces em saquinhos típicos como estes: 
Os doces típicos são: maria mole, doce de abóbora, cocada, bis, batom, doce de leite (em saquinho ou em barrinha, podendo ou não ter amendoim dentro), pirulito,suspiro e gelatinas.  Ah como dá saudades da infância ao falar de Cosme e Damião! A mais pura verdade, é que por mais que eu nunca tenha corrido atrás de doces, sempre ganhava uns 3 saquinhos de cada vizinha e me esbaldava. Nunca tive muita resistência para doces, é verdade, e por isso não tinha como não gostar de uma data que eles estivessem em destaque. Nem mesmo quando minha avó passou mal há 11 anos atrás nesse mesmo dia.

Gosto muito (além de me empanturrar de doces) de ver as crianças felizes pelas ruas pegando seus saquinhos, ou saindo mais cedo das escolas para sua caçada açucarada, mas já fazia tempos que não parava para observar essas coisas. Acho que por não ter mais nenhuma vizinha pagadora de promessa ou mesmo idade para pedir, eu já não me lembrava mais de parar para admirar a cultura local. Hoje porém saí de casa decidida a fazer uma matéria (me sentindo a jornalista né?) aqui para o blog sobre o assunto. Fotografei um empório de doces, descobri que há pessoas doidas que levam bebês de colo em estradas só para pegar doce (aliais esse assunto é tão sério que até a polícia foi envolvida segundo o RJ TV) e vi  que por mais virtual que nossa época seja e por mais materialista que a alma das pessoas tenha ficado ainda, há muita gente devota por aí.

Queria saber se é assim em outros lugares do Brasil, se há também superstições como aqui (alguns acham que aceitando o doce vai pegar a doença que a pessoa que lhe deu se livrou, e há quem pense que doce de Cosme e Damião não se rejeita) e se é verdade que muita gente pobre faz desses doces o seu almoço. Se isso for verdade devíamos ter outras datas de distribuição de comida. Bom, por ultimo vou deixar aqui um blues que fiz hoje cedo:

O Blues da sexta feira,

Hoje é sexta feira!
Todo mundo sai de carro.
Eu vou pegar engarrafamento,
na Linha Amarela, meu caro!

Eu não li o texto,
de Psicologia da Educação.
A professora faz atividade,
eu me ferrei, meu irmão!

Mas hoje é sexta feira!
Dia de Cosme e Damião!
Acho que vai ser divertido
observar a comemoração!



PS: O texto ficou meio corrido porque cheguei tem pouco tempo da faculdade, e queria postar logo. A xerox quebrou mais uma vez (ela só quebra quando preciso dela) e até dormi no banco esperando o cara consertar. Aos pouquinhos vou visitando a todos que já trouxeram seus links. Beijos!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Uma novidade a ser proposta e um poema.

Amigos leitores e blogueiros de longa data,

Eu sei que não venho comparecendo muito nos blogs de vocês e que minha moral está por baixo (já tentei fazer algumas BCs mas ninguém topou kkkk), mas aviso que do dia 27  de setembro ao dia 12 de outubro vou fazer postagens especiais sobre  crianças e infância em geral. Cada dia terá um tema que deixarei no final desse aviso. Não vou dizer que é uma BC, mas se vocês gostarem dos temas e quiserem postar, só peço que deixem os links nos comentários só pra eu ver o que vocês produziram ok?  Bom, os temas são os seguintes:

1-São Cosme e Damião;
2- Conto(ou mini conto) sobre a infância,
3-Brincadeiras de infância,
4-Inocência;
5- Programas de tv,
6-Dia da Criança.

Não vou estipular datas para os posts, só peço que postem nessa ordem porque fica mais "bunitin". Beijos a todas e fiquem com este poeminha:



Acordei com vontade de fazer poesia,
mas faltou ideia, quem diria!
Dessa forma apenas irei contar
como esse dia pareceu raiar.

As rosas anãs de minha janela,
estão levemente caídas.
Com exceção de uma que se mantém erguida.

O tempo lá fora está nublado,
e a vegetação colore o espaço.
O verde forte, vence o cinza,
e nada de monotonia se avizinha.
Apenas uma suave brisa,
 que me acarinha.

A roupa limpa seca no varal
e a bagunça reina nesse quarto.
Hoje li me mapa astral
e não mais penso em descordar das estrelas.

Espero que esse dia continue genial
e os neurônios trabalhem a toda força.
Há leituras importantes,
cujo descuido me levarão à forca.

Até mais pessoal! Tenham um bom dia!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Não precisa ler este post. Tem um melhor no Entre Livros.

Escrevi este post ao ouvir uma música no youtube. Num minuto a voz da cantora despertou alguns sentimentos escondidos, que eu não desejava postar aqui. Num outro blog eu escrevi muitas coisas tristes e achava que  tinha manchado meu trabalho de blogueira com ideias ruins, mas quem pode evitar a tristeza? Entendo agora que seja uma coisa normal postar coisas tristes, porque uma pessoa não é feliz o tempo todo, e toda obra pode causar uma reflexão não é verdade?

Resolvi postar esse poema só para dar uma explicação para minha falta de animo com as atividades bloguísticas, mas não quero que ninguém se sinta obrigado a ler e comentar, até porque em algumas partes as ideias estão confusas, assim como minha cabeça.


DOR.

Tem sido duro.
Andei pelos caminhos da vida, vacilante.
 E humilde muitas vezes,
à espera de ser digna do conhecimento.

Andei por prados e montanhas, pensativa.
Conheci a duvida
e escorreguei por vezes
à espera da harmonia e da certeza.

Porém, minha cabeça ainda gira.
Que furacão foi esse que descabelou minha alma?
Há vozes que gritam dentro de mim,
mas não consigo ouví-las direito.
Há vozes externas a mim que me cobram
e a coragem me falta
me impedindo de sair do lugar.

Incrível descobrir que o de fora apenas ganha
quando o de dentro está fraco.
E como sangra!
E como machuca!
Como é duro de entender!
Como é duro de juntar as peças!
Como é duro esconder!

E ninguém poderá socorrer...

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Sobre mentiras, segredos e opiniões mal-dadas.

Quando vejo um filme sobre adolescentes americanos já até sei a história de cor.  Vai ter duas meninas ou meninos que são melhores amigos e contam tudo um para o outro. Aí um deles faz uma merda e não quer contar para o melhor amigo(a) e por causa disso em algum momento da história eles vão brigar.

Acho isso pouco saudável. Na vida real, noto que os amigos também ficam curiosos para saber da sua vida e ficam insistindo pra saber de detalhes, mesmo quando você desconversa. Acho que o certo é esperar e ver se a pessoa quer falar, se não falar ou se desconversar os outros devem fingir que não perguntaram nada. Tive um amigo que viu que a pessoa estava desconserta e continuou perguntando e constrangendo a amiga. Confesso que essas coisas me deixam aflita e eu tratei de mudar o rumo da conversa com uma coisa muito fútil (o brinco da menina que verdadeiramente achei um barato), mas mesmo assim o infeliz continuou insistindo.

Todo mundo tem o direito de guardar seus segredos e de mentir quando não se sente a vontade de contar o que andou fazendo e que não quer lembrar. Sem falar que  ás vezes contar uma mentirinha para um amigo é uma caridade (tipo quando  vc oferece uma bala de hortelã para alguém que está com bafo e diz que é melhor pra beijar na boca), mas tirando esse caso, o que me preocupa é que sobre alguns assuntos é melhor se manter reservado, pois as pessoas gostam de dar pitacos sobre tudo e muitas vezes a gente se ferra por ouví-las. E isso acontece por um bocado de motivos que vou listar:

1- Às vezes a pessoa está mal intencionada e te dá um conselho ruim para você se ferrar e beneficiá-la. E você estando sensível no momento, vai ser facilmente manipulado.
2- A inveja costuma ser o maior caso da distribuição de maus conselhos. A pessoa não entende pelo que você está passando e inveja seus problemas. Tipo a menina que está encalhada e inveja você porque dois caras estão te disputando, não importa se os dois são uns merdões que te dão gastrite.
3- A pessoa não está mal intencionada, mas dá um conselho ruim baseado nas próprias experiências das quais tirou conclusões erradas. Isso acontece quando esse amigo se traumatizou com a experiência que teve e se alarma quando vê a coisa se repetindo.

Bom, do primeiro vocês devem estar me questionando, pois quem é que vai pensar que um amigo vai fazer isso né? Olha eu acho que é preferível prevenir e não contar os segredos mais "secretos" da sua alma para quem quer que seja, afinal, pessoas interesseiras e falsos amigos são meio difíceis de se reconhecer,às vezes. A inveja, como falei numa antiga BC, é um sentimento que brota em qualquer um, e há momentos que não podemos evitar que ela nos influencie, não é questão de falta de caráter, mas de insatisfação consigo mesmo.

Já o ítem 3 além de não ser de propósito é difícil de desconsiderar, porque tomamos a experiência dos outros como parâmetros quando entramos às cegas numa situação. Por isso que é bem complicado largar os conselhos da sua mãe (quando estes não funcionam) e construir sua própria experiência. Só que devemos ter em mente que por mais que as situações se repitam, (como na roda da fortuna) os resultados podem variar quando os fatores principais variam, e um deles é o tipo de personalidade que a pessoa que está enfrentando tem e tudo o que ela aprendeu em vida. Não é porque você se deu mal no teste de geografia porque estudou na véspera que seu amigo vai ter o mesmo resultados fazendo a mesma coisa. Se ele tiver mais facilidade em geografia que você, às vezes bastou a ele frequentar as aulas pra se dar bem na avaliação.

Mas é claro se você quiser contar, porque você confia na pessoa e porque está precisando desabafar, conte. Se a pessoa tem um histórico de bons conselhos acho que não há mal algum tentar, mas de regra geral, é mais sábio manter pra si os próprios tormentos e dificuldades.  Quando ouvimos muitas opiniões  diferentes sobre um mesmo assunto, temos dificuldade de saber o que sentimos, pois entra em jogo o julgamento das pessoas, e podemos no fim esquecer o que estamos sentindo e o que concluímos.

Fez sentido pra você?

domingo, 1 de setembro de 2013

Ásia em destaque: dois filmes sobre política e ditadura.

O Ultimo dançarino de Mao



Depois de assistir a esse filme achei que não veria um outro tão bonito por muito tempo, mas aí minha mãe alugou "Além da liberdade". Vou falar dele daqui a pouco, por hora vamos visitar a China comunista da década de 80.

Li Cunxin foi recrutado pelo governo ainda garoto por causa de sua extrema flexibilidade. O garoto saiu de sua aldeia pobre e por muito tempo não viu seus pais e seus seis irmãos, apenas falava pelo telefone uma vez ou outra. Li fora recrutado para dançar balé para um programa do governo comunista, para mostrar ao exterior que o governo Chinês era civilizado. Achei um tanto estranho no início porque durante a Revolução cultural tudo o que era ocidental foi banido do país (ou ao menos foi o que entendi no filme Balzac e a costureirinha chinesa), mas logo o governo passou a interferir na escola e obrigou o corpo de balé a dança balé político.

Li, no início, não era um bom bailarino, mas para trazer alegria e orgulho aos seus pais, se esforçou ao máximo e acabou conseguindo uma bolsa de estudos numa escola de dança americana. Lá ele experimenta a liberdade de dançar o que quisesse, de dizer o que pensasse e de amar alguém que não seguia os padrões tradicionais. Só que o governo chinês resolve interromper a sua bolsa de estudos e levá-lo de volta. Seduzido pelo jeito ocidental Li casa com Elizabeth para permanecer em solo americano (ok ele também amava a moça), e apesar do incidente na embaixada chinesa (ele fica preso e quase é sedado para voltar ao seu país) ele permanece no país e viaja pelo mundo (menos na china onde foi proibido de voltar)com a companhia de dança.

Só que Li não estava satisfeito. Realizara seu sonho, mas como não podia se comunicar com os pais, desesperava-se pensando que eles pagaram o pato por sua escolha. Queria ao menos saber se eles estavam bem, e graças à Deus ele descobre numa cena linda no final. Na minha opinião foi um conto de fadas moderno, e recomendo a qualquer um que goste de assistir filmes com um pacote de lenços ao lado.


"Além da Liberdade" ou "The lady"


Aung San Suu ki é a filha de um general birmanês morto ao propor a transição para a democracia na Birmânia. Ela viveu na Inglaterra depois do falecimento do pai e casou-se com Mike, tendo dois filhos com ele: Alex e Kim.

Aung está vendo na tv a situação de seu país quando ligam avisando que sua mãe teve um avc. Imediatamente ela volta e vira testemunha de muitas barbaridades em seu pais, inclusive o assassinato de manifestantes da idade de seu filho dentro do hospital onde sua mãe se encontrava.  Acredito que ela não tinha intenção de virar heroína logo de cara, mas o povo transferiu do pai dela para Aung o simbolo  da liberdade da Birmânia, e assim começa uma luta à la Gandhi pela democracia.

A orquídea da Birmânia, como foi chamada, visita cada grupo étnico do país e os convence a votar nela, mas quando finalmente vence as eleições os militares a aprisionam na casa de sua mãe impedindo-a de tomar posse. Separada dos filhos e do marido, ela sobrevive a 15 anos de cárcere e não volta para a Inglaterra, nem quando seu marido descobre que tem câncer.

Abrindo um parêntesis, o que mais gostei no filme foi o amor de Mike por Aung. Em momento algum ele reclamou da ausência dela e pediu para ela optar entre ele e seu país de origem. Tudo o que pode fazer junto as autoridades ele fez, inclusive indicá-la ao prêmio Nobel da Paz para que os militares ficassem ainda mais temerosos de criar uma mártir. Ele adiou contar sobre sua saúde para que ela não cometesse uma bobagem, porque se ela saísse do país não teria mais permissão para voltar. Em outros filmes, como secretariat, por exemplo, o marido não apoiou o sonho da esposa e ficou de "mimimi" porque a esposa tinha vida própria.

O filme foi dirigido por De Luc Besson e no final descobrimos que até 2010 Aung não conseguiu tomar posse da presidência birmanesa. Fiquei um pouco triste com isso, porque sua luta foi tão pacífica e bonita! (que os historiadores não vejam meu juízo de valor...) É uma pena que não saibamos mais sobre os outros países. 

Termino esse pacote duplo de comentários recomendando a todos que precisem de um pequeno incentivo para ter coragem de fazer o que é certo. Um abraço,

Alê Lemos.