Seguidores

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O melhor presente de Natal. BC da Rosélia.

Peço perdão pelo atraso desta postagem. Eu gostaria de ter publicado no dia 12 quando a Rosélia marcou a Blogagem, mas acontece que esse era o dia do meu aniversário e eu passei o dia fora. Nos dias seguintes, por mais estranho que pareça, continuei comemorando meus 25 aninhos. Não consegui reunir todas as pessoas que convidei num lugar só então acabei saindo com grupos diferentes a semana toda (estou me sentido de ressaca, apesar de não ver graça em bebida), o que lembra muito um casamento indiano [risos], só que o meu só durou uns 10 dias.

Daenerys que a Pandora me deu.
Além disso, dessa comemoração prolongada [infinita seria melhor...]  ganhei um monte de presentes : Um celular boladão, uma caixa de bombons,três livros, uma boneca Daenerys (de Game of Thrones), um batom fofo,um punhado de moedas brilhantes, uma entrada de cinema e dois vestidos. Eu não esperava ganhar nada dessa vez porque passei o ano meio reclusa estudando para escrever a monografia e depois para o projeto de mestrado (que não deu certo) e não saí muito, mas acabei me surpreendendo com o carinho das pessoas a pesar da minha negligência [shame on me].

Sabe, a maioria das pessoas que fazem aniversário em dezembro reclamam de só ganharem um presente por causa do Natal, mas o meu caso sempre é diferente: ganho presente o mês todo. A única diferença é que normalmente os presentes vem da família, esse ano não, vieram de todos os lados, inclusive de Pernambuco [risos-pois é rio de tudo] e me fizeram sentir muito amada, não por ser dona de tudo isso, mas de saber que tanta gente quis demonstrar através deles, que se importam comigo. Sinto-me  com mais energia e disposta a enfrentar mais um ano, seja lá o que tiver pela frente para mim dessa vez....

Enfim, o melhor presente até hoje que ganhei de "Natalniversário" foi o carinho de todos e o aprendizado de que nem sempre é bom  juntar suas forças em prol de um único objetivo a ponto de não conseguir fazer qualquer outra coisa da sua vida. Sinto como se eu tivesse deixado de viver coisas boas e mesmo assim tivesse envelhecido uns 100 anos. Negligenciar meu corpo e meus sentimentos só criou sintomas psicossomáticos e eu me ferrei, então vou tentar aproveitar  mais o lado menos sério da vida. Um grande beijo a todos!

Alê Lemos.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Missão dezembro, ou todos os livros que quero ler.




Comecei o mês de dezembro querendo distrair minha cabeça. Estava me preparando para jogar as preocupações para o fundo da cabeça e viajar na maionese com romances água com açúcar. Juntou isso com a compulsão por livros e com o amigo oculto do blog "O que tem na nossa estante" e ganhei todos esses livros da foto. 

Missão dezembro
Até agora já li os três da" Saga Encantadas" ("Veneno", "Feitiço" e "Poder"), o "Deusa da Luz" e "Adormecida".  O tema de Contos de fadas tem bombado no momento, com séries baseadas neles como "Grimm", "Once Upon a time" e "Beauty and the Beast" e alguns filmes também como:  "Malévola" -que foi o melhor deles até agora-, mas tem também "Branca de Neve e o Caçador" , "Espelho, espelho meu", "A Bela e a fera" (um filme cuja produção francesa é bem mais fiel ao conto de madame D'Aulnoy) e deve estrear ano que vem "Cinderella" e "Caminhos da floresta". 

A literatura não ficou de fora dessa moda. Como podem ver na minha lista de dezembro tem 4 livros sobre o assunto. Gostei muito do romance futurista "Adormecida"  que dá uma pela lição sobre passividade e redime a Bela Adormecida medieval. O engraçado é que esse futuro interplanetário tem alguns problemas bem medievais, principalmente pelos surtos de peste."Encantadas" já não me conquistou muito. Como eu disse, queria umas leituras para me distrair, viajar e essa saga traz todos os problemas femininos atuais: sexualidade feminina, príncipe encantado como uma ideia machista, homossexualidade feminina e até masturbação. A feminista interior dá nota 10, mas a poetisa foi mais exigente e deu 6. Além disso, é uma série encomendada para aproveitar essa "nova" febre mundial e segue o modelo narrativo da série "Once upon a time" com histórias interligadas e personagens que muitas vezes assumem mais de uma função na história ( nota-se a semelhança com a série de tv quando Pinborough usa Rumplestilkin interligando Bela Adormecida com Rapunzel. Em "OUAT" o mesmo personagem interliga Branca de Neve, Peter Pan, Cinderela e Bela e a Fera principalmente, porque na verdade, todos os caminhos levam a Rumplestilskin).

A Deusa da Lenda foi uma grande frustração. Paguei caro por ele e o enredo foi fraco, a personagem  principal inconsistente e final previsível. A única coisa boa era a descrição do rei Arthur (é de dar vontade de cantar:"lindo, tesão, bonito e gostosão!"), mas mesmo ele ficou parecendo um bobão porque ficava em função da heroína Isabel (descrita como quarentona, mas que parecia uma adolescente). O importante porém, é que tenho mais livros para ler. Ontem comecei a série "Halo", e por mais que seja previsível também, espero que seja uma série melhor construída.

Estou reservando os três livros da série "como treinar seu dragão" para o final do mês porque descobri que tem outros livros antes desses que não li ainda, mas para mim representam a cereja do bolo. O único problema é que essa minha lista está crescendo muito rápido. Hoje já chegou o livro que ganhei numa aposta da Pandora na época da Copa (apostei que a Alemanha venceria a Argentina XD) e já fiquei com muita vontade de ler "O retrato de Dorian Gray". Esse é um livro que eu já tinha, mas fui seduzida pelas primeiras páginas outro dia e só não terminei de ler antes porque estava estudando a beça.

Ainda não sei o que vou fazer nesse mês de natal aqui na Menina das Ideias.. quer dizer, vou participar de uma BC da amiga Rosélia sobre "presente de natal", mas não tinha pensado em algo legal para o mês todo, afinal estou voltando aqui de uma forma bem desacelerada aqui no blog. Acho que devo voltar pra falar do resto dos livros desse mês, que tal?

Bom, enquanto isso desejo a todos muita felicidade durante esse mês abençoado.
Grande abraço, Alê Lemos.

domingo, 7 de dezembro de 2014

300 livros.



Depois de tantas imagens comemorativas, acho que você só entendeu que estou feliz não é mesmo? Bom, e não é para menos. Hoje as 20 horas mais ou menos, terminei de ler o 300º livro da minha vida! Bom, pelo menos é o trecentésimo desde que comecei a contar. Não dava para lembrar de todos aqueles livros infantis da época da escola e dos que herdei do meu irmão, então exceto aqueles que consegui puxar de memória muitos foram esquecidos, mas não importa, li mais 300 depois de qualquer forma (autora dando de ombros).

Falando nisso, deixa eu explicar porque eu parei para registrar esses livros. Ter uma lista como esta parece pura ostentação, pensando bem,-mais ostentação é escrever um post sobre isso dona Alê!- mas foi uma coisa quase natural sabe? Tudo começou quando um professor de história me disse que já tinha lido 500 livros na vida dele. Aparentemente ele não tinha 30 anos ainda e isso me deixou curiosa: "será mesmo que alguém consegue ler tudo isso em vida?" e imediatamente comecei a contar quantos já tinha lido, anotando num caderninho todos os títulos que conseguia lembrar. Para minha decepção, só consegui juntar 80. Isso foi em 2005 e só 9 anos depois é que consegui chegar na terceira centena. Bom, imagino que daqui a uns 5 anos eu consiga chegar na minha meta, mas acho que hoje já me provei que é possível sim ler tudo isso.

Tenho o hábito de ler desde meus 11 anos, em parte devo agradecer por isto a rede globo e o resto da tv aberta que só passavam programas que não me interessavam e ao fato de não poder pagar uma tv por assinatura- momento "não teria conseguido se não fossem vocês pessoal!"-, mas na verdade me sinto grata mesmo à biblioteca da minha escola que forneceu conteúdo alternativo de entretenimento para mim.

Enfim, acredito que todos esses livros mudaram minha vida sabe? Alguns atrapalharam para burro (principalmente os de autoajuda) outros inspiraram e me ensinaram a pensar por mim mesma (os da faculdade) e outros foram grandes amigos, pois estiveram mais presentes nas horas de necessidade que pessoas de verdade e tenho muito carinho por eles. Ah! eu já ía esquecendo de dizer, o ultimo livro foi "Veneno" da série "Encantadas", não gostei muito para falar a verdade, mas os outros livros da série são muito bons. Recomendo!

Beijos sonolentos,
Alê Lemos.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Indignação matinal.

Hoje de manhã abri meu face e vi minha amiga compartilhando uma foto. A cena retratada era de uma passeata pelos direitos heterossexuais. Nem é preciso dizer que achei a coisa meio ridícula porque até hoje nunca ouvi falar que os direitos dos heteros estavam em risco, só ouvi dos homossexuais na verdade. Porém, a frase que vinha a seguir dizia que pessoas "saradas" e "loiras" não sofriam preconceito, o que discordo totalmente.

Hoje em dia o padrão é ser magra, loira e sarada não é mesmo?  Quem tem tudo isso é obrigado a ser feliz né? ERRADO! Isso não é verdade e em parte é por causa do desprezo alheio. A pessoa quando é bela realmente atrai favores de algumas pessoas, ok, às vezes tem preferência em vagas de emprego e tal, mas todas elas já passaram por situações humilhantes. Afinal que loira nunca foi chamada de burra? Que sarado nunca foi taxado de mongoloide? Até parece que quem tem boa genética tem que obrigatoriamente ser desmiolado.

Não ficou satisfeito com esse argumento? Bom, muitas pessoas bonitas também sofrem exclusão social. Maria Fernanda Cândido confessou que não conseguia se enturmar na escola por causa de panelinhas e você acha que é porque? Vendo os programas ao vivo que ela participa você não poderia dizer que é alguém sem noção ou idiota. Na minha escola, as meninas excluíam a Paula e falavam mal dela pelas costas porque os garotos a elegeram como a mais bonita da turma e a maioria era apaixonada por ela. Minha comadre Aline me contou que ela e as amigas excluíam uma menina na época da escola pelos mesmos motivos. Isso só prova que há preconceito sim contra as pessoas bonitas.

Você que está lendo, pode achar que era uma coisa exclusiva de mulheres por causa da tal competição "característica" do gênero. Bobagem, não é o fato de ter um útero que transforma a pessoa num ser competitivo, meu irmão sempre que chegava numa escola nova tinha que brigar com a turma inteira (os garotos) pelo despeito deles e para ganhar respeito. É uma característica da nossa espécie por inteiro, afinal não se defende comumente a meritocracia? O que ela é além de  competição e exclusão dos mais "fracos"?

Ah! Lembrei de uma coisa, outro dia fui ver uma discussão num site sobre o corpo feminino. Lá tinha alguns desenhos das princesas Disney que alguém alterou para elas parecerem mais "normais "(gordinhas) e menos ideais. Muitos aplaudiram, mas teve uma menina que se revoltou. Segundo ela, sempre fora magra e seu corpo era tão normal como de qualquer outra. Eu concordo com ela, todo tipo de corpo é bonito, não é porque não estamos no padrão que devemos desprezar quem nasceu de acordo com o padrão, ou talvez devêssemos chamá-lo de "pseudo-padrão" porque as magrinhas também tem tanta dificuldade de comprar roupa como nós e também sofrem pressão social para engordar. Eu tenho duas amigas que vivem em médicos se tratando para ganhar peso porque querem se sentir bonitas e porque muitos acreditam que elas têm a saúde frágil. Pessoas insatisfeitas tentam alimentar a frustração dos outros sendo hostis com elas e apontando seus defeitos, e quando a pessoa não tem defeitos elas arrumam, transformando até o que não é defeito em defeito.

Enfim, não me ponho contra o movimento gay, nem ao negro e muito menos o feminista, acho que todos são muito importantes para a sociedade crescer humanamente, mas francamente, vamos parar de ignorar que não são só elas que sofrem preconceito.

Um abraço, Aleska Lemos.